quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

Pesquisa revela a tendência do cristianismo atual: Mediocridade

O instituto Barna Group publicou há poucos dias o resumo das principais pesquisas realizadas pela instituição nos Estados Unidos durante o ano de 2010. O resultado fornece um retrato de como o ambiente religioso nos Estados Unidos está se transformando em algo novo e também perigoso.

A matéria fornece seis tendências principais. Vejamos:


1. A Igreja Cristã está se tornando menos alfabetizada teologicamente

As pesquisas apontaram que o que costumavam ser verdades básicas e universalmente conhecidas sobre o cristianismo, são agora mistérios desconhecidos para uma grande e crescente parte de norte-americanos. Os estudos revelaram que enquanto a maioria das pessoas consideram a Páscoa como um feriado religioso, apenas uma minoria de adultos a associam com a ressurreição de Jesus Cristo. Outros exemplos, relata a matéria, incluem a constatação de que poucos adultos acreditam que sua fé é para ser o ponto focal de sua vida ou ser integrados em todos os aspectos da sua existência. Além disso, uma crescente maioria acredita que o Espírito Santo é um símbolo da presença de Deus ou do poder, mas não é uma entidade viva. A teologia livre para todos que está invadindo as igrejas protestantes em todo o país sugere que a próxima década será um momento de diversidade teológica incomparável e inconsistência.


2. Os cristãos estão se tornando mais isolados dos não-cristãos

Os cristãos estão cada vez mais espiritualmente isolados dos não-cristãos do que era há uma década. Exemplos dessa tendência incluem o fato de que menos de um terço dos cristãos tem convidado qualquer pessoa para se juntar a eles em um evento da igreja durante a época da Páscoa. Os adolescentes são menos inclinados a discutir o cristianismo com seus amigos do que acontecia no passado.

3. Um número crescente de pessoas estão menos interessadas em princípios espirituais e desejosos de aprender mais soluções pragmáticas para a vida.

Quando perguntado o que mais importa, os adolescentes norte-americanos disseram priorizar a educação, carreira, amizades e viagens. A fé é importante para eles, mas é preciso primeiro um conjunto de realizações de vida. Entre os adultos, as áreas de importância crescente são o conforto, estilo de vida, sucesso e realizações pessoais. Essas dimensões têm aumentado à custa do investimento em fé e família. O ritmo corrido da sociedade deixa as pessoas com pouco tempo para reflexão. O pensamento profundo que ocorre normalmente refere-se a interesses econômicos. As práticas espirituais como a contemplação, solidão, silêncio e simplicidade são raras. (É irônico que os mais de quatro em cada cinco adultos dizem viver uma vida simples.)

4. Entre os cristãos, o interesse em participar da ação da comunidade é cada vez maior

Os cristãos estão mais abertos e mais envolvidos em atividades de serviço comunitário do que no passado recente. No entanto, conforme alerta a matéria, apesar dessa tendência, as igrejas correm o risco desse engajamento diminuir, a menos que abracem uma base espiritual muito forte para tal serviço, e não por estímulo momentâneo.

5. A insistência pós-moderna de tolerância é de conquistar a Igreja Cristã

O analfabetismo bíblico e a falta de confiança espiritual fez com que os americanos evitassem escolhas baseadas na exigências bíblicas, com medo de serem rotulados de julgadores (ou preconceituosos). O resultado é uma Igreja que se tornou tolerante com uma vasta gama de comportamentos moralmente e espiritualmente duvidosos. A idéia de amor foi redefinido para significar a ausência de conflito e confronto, como se não existem absolutos morais que vale a pena lutar. Isso não pode ser surpreendente em uma Igreja na qual uma minoria acredita que existe uma moral absoluta ditada pelas escrituras.

6. A influência do cristianismo na cultura e na vida individual é praticamente invisível

O cristianismo é sem dúvida a cosmovisão que mais influenciou a cultura americana do que qualquer outra religião, filosofia ou ideologia. No entanto, isso não tem corrido nos últimos tempos.


Comentários de Milhomem:

Acredito que essas “tendências” não são novidades. Já que há muito tempo temos falado sobre esses temas aqui no blog, sobre a influência da pós-modernidade na igreja cristã. De qualquer forma, as pesquisas servem como alerta para os cristãos, tanto dos Estados Unidos como do Brasil.

“E não vos conformeis com este mundo, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus.” ( Rm 12:2 )

Comentários de Danilo Fernandes:

Concordando com Valmir, acrescento:

Esta é a herença maldita do falso avivamento proporcionado pelo neopentecostalismo e seus ventos de doutrina que nos atingem a todos, transformando a maior parte da igreja em seitas que se distanciam à passos largos do Evangelho.

Ademais, o vislubrar da progressão deste "evangelho da prosperidade" antropocêntrico é este mesmo: O alvo é o homem, um-a-um, nas suas mesquinhas necessidades pessoais e lasque-se o mundo. Dane-se o outro.

É a tentativa de botar um cabestro no Evangelho de Cristo e pô-lo a servir o egoísmo boçal.

Nem o homem se volta para Deus e nem para o seu semelhante. Somos o povo do umbigo. Que mer...! Nossa influencia no mundo é zero. Somos a mosca do cavalo!

Quem anda certo, rema contra um tsunami e não sabe, na igreja, quem é seu irmão, a quem estender a sua destra...

Uma catástrofe espiritual, mas também civílizatória de um grupo que se acha escolhido por Deus, o sal da terra, que não salga nada, não transforma nada, não acrescenta nada a si ou ao resto da humanidade. Somos os filhos das pequenas promessas, pequenas mesmo, medíocres, daninhas.

Fomos escolhidos e comprados para liderar uma revolução de AMOR, mas atualmente estamos ocupados ouvindo Valadão, comprando bíblias de 900,oo com unção financeira, dando tremiliques e imitando animais nos cultos, cultivando dentes de ouro, fazendo seminários de libertação e de maldições hereditárias  e participando alegremente de cruzadas em navios de cruzeiro.

Ninguém estuda a Palavra ou faz nada do que Jesus nos mandou em favor dos outros. (e de nós mesmos!) 

O inferno nos aguarda, mas pelo visto, antes seremos vergonha por aqui por algum tempo. 

Se o evangélico virar (ainda mais) motivo de piada e chacota é porque MERECE!

Em breve, o cenário americano será um pomar comparado ao futuro deserto nacional.

Deus tenha piedade!


Desculpe. Tava engasgado. Olhar esta pesquisa foi a gota d'agua!



Fonte http://www.comoviveremos.com/ / Com dados do Barna Group Comentário Genizah


Leia Mais em: http://www.genizahvirtual.com/2011/02/pesquisa-revela-tendencia-do.html#ixzz1CtmwlfiF
Under Creative Commons License: Attribution Non-Commercial Share Alike

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...